10 de nov de 2013

Gestão Ambiental monitora qualidade da água em 15 arroios da BR-116/RS

Uma das preocupações do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) durante a duplicação da BR-116/RS, entre Guaíba e Pelotas, é minimizar possíveis impactos das obras nos recursos hídricos da região. É com este objetivo que o órgão executa, por meio da Gestão Ambiental (STE S.A.), o Programa de Monitoramento da Qualidade da Água. Entre os dias 1º e 03 de outubro foi realizada a 5ª campanha amostral, com coletas em 15 arroios interceptados pelo empreendimento.

O engenheiro agrônomo da STE S.A., Lauro Bassi, destaca que dez destes locais já recebem atividades da duplicação, como supressão vegetal e instalação de obras de arte especiais (pontes e viadutos). A coleta ocorre a montante e a jusante de cada corpo hídrico, ou seja, acima e abaixo de onde encontram-se as obras. Do conjunto de parâmetros analisados, cinco são medidos em campo com o auxílio de aparelhos. Através do turbidímetro, a equipe observa a turbidez da amostra, característica causada pela presença de materiais sólidos em suspensão. Já a sonda multiparâmetros permite que sejam monitorados pH, condutividade elétrica, oxigênio dissolvido e temperatura.

Na sequência as amostras são acondicionadas em reservatório com gelo e encaminhadas para análise laboratorial, que indicará aspectos bacteriológicos e físico-químicos da água. “Através destes parâmetros é possível comparar estatisticamente as diferenças e identificar a existência de impactos”, explica Lauro. De acordo com ele, até o momento as obras não causam interferência significativa na qualidade dos recursos hídricos. “O que se observa na região são valores elevados de coliformes, provavelmente resultantes de esgotamento sanitário e atividade agrícola e pastoril”, afirma.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...