7 de nov de 2013

Áreas de apoio das obras de duplicação do Contorno de Pelotas são vistoriadas pelo IBAMA

Objetivo é garantir o atendimento às condicionantes das licenças ambientais.

Os canteiros de obra e jazidas dos lotes 1-A e 1-B, locais utilizados como apoio para a duplicação da rodovia, foram vistoriados nesta terça-feira (08/10) por analistas ambientais do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA). Realizado em, aproximadamente, dois em dois meses, o acompanhamento tem como finalidade assegurar que as condicionantes do licenciamento ambiental sejam cumpridas, evitando passivos e sugerindo melhorias.

O geólogo do IBAMA, José Antônio Gudolle, explica que a atividade de mineração modifica a paisagem e deve ser controlada para evitar outros impactos. “Por isso procuramos analisar se há a contenção dos materiais dentro da área definida e se a construtora está seguindo o Plano de Lavra aprovado pelo IBAMA, documento técnico que contém a descrição do método de extração”, disse. Canaletas de drenagem e bacias de decantação são pontos importantes verificados pelos analistas ambientais.

Somente na jazida do lote 1-B, utilizada para extração mineral de argila, seis vistorias já foram realizadas, três antes do começo da mineração e outras três para acompanhamento. Segundo o engenheiro civil da construtora responsável por este trecho, Maximiliano Falkemback, desde junho deste ano cerca de 80 mil metros cúbicos de material já foram extraídos da jazida para servir de aterro à rodovia.

O IBAMA ainda vistoria os canteiros de obra a fim de orientar a construtora quanto à separação correta de resíduos, a organização do local e a não existência de vazamento de óleo. A Gestão Ambiental (STE S.A.) do empreendimento, contratada pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), faz o monitoramento das jazidas a cada 15 dias.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...