18 de set de 2013

Qualidade da água subterrânea na BR-448 é monitorada em 14 poços

Disponível em quantidade e qualidade variadas no tempo e no espaço, a água é um recurso vital para a manutenção dos ciclos biológicos, geológicos e químicos, portanto, requer gerenciamento, planejamento e implementação de ações para garantir seus múltiplos usos. Na área onde está sendo construída a BR-448, o DNIT, por meio da equipe de Gestão Ambiental do empreendimento monitora trimestralmente os aspectos qualitativos da água superficial e subterrânea.


Com Programas específicos, os recursos hídricos presentes na área de influencia da rodovia passam por um acompanhamento sistemático. Visando prevenir ou reduzir os impactos da construção sobre os recursos hídricos. Com o objetivo de avaliar possíveis interferências na água subterrânea a equipe realiza campanhas de monitoramento em 14 poços piezométricos instalados de acordo com as normas ambientais (ABNT NBR 15.495-1/2007) ao longo dos 22 quilômetros do empreendimento.

Os poços foram implantados em locais com potenciais fontes de poluição como nos canteiros de obra (áreas de abastecimento e lavagem e oficinas de manutenção de veículos) e ao longo do trecho. Com profundidade média de 4 metros, são utilizados para verificar a qualidade da água do lençol freático (reservatório de água subterrânea decorrente da infiltração da água da chuva no solo nos chamados locais de recarga) como explica o consultor Lauro Bassi. “Esta profundidade é suficiente, devido a região onde está sendo construída a rodovia ser de várzeas e o lençol freático estar próximo à superfície”. O procedimento consiste no esgotamento preliminar dos poços para, no dia seguinte, fazer a coleta de amostras que posteriormente, são enviadas para análise laboratorial de 20 parâmetros de qualidade, como pH, condutividade elétrica, alcalinidade entre outros.

Lauro informa ainda, que os dados das campanhas são revertidos em importantes fontes de informação para novos projetos. “As informações sobre a qualidade da água subterrânea obtidas pelo Programa de Monitoramento, além de subsidiar as ações de controle ambiental em situações de possível impacto decorrente das obras da rodovia, constituem-se em importante banco de dados que pode ser utilizado para programas/projetos de gerenciamento dos recursos hídricos na região onde se insere a rodovia”. Conforme dados obtidos ao longo do monitoramento, a 14ª campanha revela que as atividades de construção não estão comprometendo a qualidade da água subterrânea.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...